Resposas Espirituosas

Na segunda feira eu mandei uma ótima para a Ana Paula:

- Mário, você tem alguma fantasia em casa?
- Querida, as únicas fantasias que tenho são fantasias sexuais.

Mas aí o Bruninho conseguiu superar e mandou a melhor do mês:

- Bruninho, cê já viu o filme A Paixão de Cristo?
- Já, mas é chato... ele morre no final.

Revista das Religiões

Não sei se já contei isso antes, mas se não contei, conto agora. Eu não sigo nenhuma religião. Nem budismo, nem islamismo, nem cristianismo, nem sufismo, nem nenhum dos outros ismos que povoam os templos e igrejas.

Cresci em família católica, fui batizado nela, freqüentava as aulas religiosas no colégio e cheguei até mesmo a iniciar o catecismo e participar de procissão. Mas de acordo com que fui amadurecendo (sic) me afastei mais e mais da religião.

Passei então a ter apenas fé. Fé na vida. Fé em mim. Fé em Deus. No fim de 2002 cheguei a escrever um texto sobre isso, que até hoje rende boas conversas sobre o tema. Tenho minha religiosidade mas não tenho religião.

Penso assim porque ao observar as religiões com que tenho maior contato, nenhuma dela me pareceu agradável de seguir. Mas ao mesmo tempo que não sigo nenhuma integralmente, torno parte de meu dogma pessoal o que considero melhor em cada uma que tenho oportunidade de conhecer. É o caso dos mandamentos e dos pecados bíblicos e também alguns dos oito passos do budismo necessários à iluminação.

Em meados de 2003 comecei a sentir um impulso de conhecer e estudar as variadas religiões. Daí que, por coincidência, sorte ou providência divina, pude conhecer a revista que dá nome a este texto.

A Revista das Religiões, suplemento periódico da revista Super Interessante, trata de forma clara e imparcial sobre religiões, religiosidade e eventos históricos, entre outras coisas. Já passaram por suas páginas temas como milagres, reencarnação, espiritismo e a Criação. Já falou da vida de pessoas como José de Anchieta, Jesus e Chico Xavier. Já foi a fundo em religiões como o budismo, hare krishna e candomblé. Uma das partes que mais gosto, e que está em todas as edições, é a confrontação do pensamento de duas religiões a respeito de temas polêmicos, como pena de morte e sexo antes do casamento.

Ela é extremamente imparcial, pois mostra apenas como as coisas são - ou eram - em nenhum momento instigando o leitor a aceitar esta ou aquela crença. Além disso, mostra sempre que o caminho para a paz é a tolerância, repreendendo qualquer ato de preconceito. Como se não bastasse, traz ainda entrevistas, notícias, dicas de livros e até ensaios fotográficos. É uma pena não estar disponível ainda para ser assinada.

Ela é, sem dúvida, leitura fundamental e indispensável para quem quer conhecer o mundo da fé.

Atualização com boa notícia: minhas preces foram atendidas: a Revista das Religiões já está disponível para ser assinada.

Oito de Março

Dia Internacional da Mulher

Um dia especial para homenagear quem é lembrada todos os dias.
Se carinho fosse um brilho, seria o dos seus olhos.
Se amizade fosse um som, seria o da sua voz.
Se paixão fosse um cheiro, seria o seu perfume.
Se bem-querer fosse um toque, seria o seu abraço.
Se felicidade fosse um lugar, seria ao seu lado.
Se amor fosse um nome, seria o seu.

Parabéns pelo seu dia. Mesmo que, para mim, todo dia seja dia de lembrar de você, mesmo que todo dia seja dia de te amar, oito de março é um dia especial, no qual você deve ser lembrada e amada em dobro.

Beijos do cara que quer fazer você a mulher mais feliz do mundo, todo dia.

Diversão na Internet

Vejam lá estas duas animações/joguinhos que descobri pelo mundo da internet.

O jogo do pingüim é bem sanguinário, não recomendável para quem não gosta de sangue, mas é o tipo de jogo que eu gosto. O objetivo é jogar o bichinho o mais longe possível. Com um clique, ele pula, com outro clique, você rebate. Uma dica para deixar a animação mais rápida é dar um clique com o botão direito sobre o desenho, apontar para qualidade e escolher a opção "baixa". Meu recorde em distância até agora é de 1088 metros. Quem consegue mais?

Já o espanhol Metele ao Ordenata é tudo o que eu sempre quis fazer com computadores. Vão lá e vejam por si mesmos que este é o sonho de todos nós. No gabinete, dá pra clicar na frente, do lado e em cima. No monitor, dá pra clicar na frente e em cima. O mouse e o teclado só têm um ponto de clique. Extravasem todos os anos de travamentos!

Sarcófago & The Rocket Man

Coisa nova aqui no cafofo, gente. Primeiro, a seção "O Fundo do Sarcófago", que é o arquivo daqui, teve a cara refeita há uns dias. Depois, uma leve atualizada na seção "Sites Amigos". Mais além, a nova seção "The Bost of Sarcófago", que dá acesso aos textos que o pessoal mais gostou. Se vocês acharem que faltou algum texto ali é só avisar que eu coloco na lista. E se acharem que um texto não merece estar lá, boca no trombone também. A lista vai valer pros textos futuros: se eu escrever algo que mereça um mínimo de reconhecimento, avisem que vai pro mural. Por fim, mais uma nova seção, "Piano Bar", com arquivos MP3 das músicas que toquei no meu teclado. Não é lá essas coisas, mas dá pro gasto.

Quanto ao The Rocket Man, meu outro site, agora é oficial: larguei de mão. Vou continuar respondendo às mensagens que chegarem, mas não vou mais atualizá-lo. Pelo menos sei que tá servindo prum monte de gente.