Das Emoções Difíceis

Nunca fui do time dos calmos. Estava sempre pronto para bater uma porta quando contrariado ou para ser agressivo com quem não estivesse de acordo minhas expectativas. E, claro, me achava coberto de razão. Achava que as injustiças às quais era submetido me davam a justificativa moral para poder explodir e agredir até quem não tinha nada a ver com o assunto.

Alguns anos atrás, quando passei por uma série de grandes mudanças quase simultâneas na minha vida, a coisa piorou. O que acabou culminando com algum tempo de terapia. Me dei alta nove meses depois, num processo duro de autoanálise e autorreconhecimento.

Saí de lá dono de uma serenidade que não conseguia ter antes, reagindo de forma tão diferente a certas situações que até me surpreendo, num processo de melhoria que venho aperfeiçoando desde então. Depois de uma longa conversa com um amigo, achei que seria uma boa ideia compartilhar como essa transformação aconteceu.

***

Este é o início de um longo texto meu que vai ser publicado segunda feira no Papo de Homem. Acho que é uma das melhores coisas que já escrevi e dá um puto orgulho ver meu nome no site que tanto me ajudou nos últimos anos. Só tenho a agradecer à equipe por tê-lo aceito.

***

O texto já está no ar.

2 comentários:

Daniele Pontes disse...

OI Mario...
Há muito tempo atrás conheci seu blog "Sarcófago" e sempre acompanhava suas publicações.
Não sabia que o blog ainda existia e me deixou feliz em ver que sim.
Você escreve muito bem e gosto muito da sua linha de raciocínio.
Atualmente acompanho bastante o "papo de homem" e reconheci seu nome assim que vi.Legal reencontrar seus publicações.
Parabéns e sucesso.

Mário Marinato disse...

Puxa, Daniele, que legal isso. De que época você conhece o Sarcófago? E como chegou até ele?
Muito obrigado pelos elogios.
Sobre o Papo de Homem, pra mim está sendo uma honra imensa ver meu nome do meio de tanta gente boa, no site que tanto tem me ensinado nos últimos anos.
Um abração.