Sobre Direitos Humanos

Há tempos uma frase fácil de me ouvir falando é que "direitos humanos são para humanos". Sempre defendi a punição violenta para bandidos, principalmente os que cometem atos contra crianças e mulheres. Nunca gostei de ver esse pessoal dos direitos humanos defendendo bandido.

Mas estou mudando, graças à Lola. Se você ainda não conhece o blog da Lola, saiba que está deixando de ler uma das melhores mentes que já conheci. O feed do blog dela é leitura obrigatória aqui em casa.

Pois bem, em novembro de 2010 ela publicou uma resenha sobre Tropa de Elite 2, e algumas de suas frases me fizeram parar para pensar sobre minhas próprias opiniões:

"Defender tortura e execuções sumárias e tirar sarro da defesa de direitos humanos são, sim, ideias fascistas, e perigosas."

"A direita acredita que a criminalidade é causada unicamente por escolhas individuais, não por problemas sociais, que bandido bom é bandido morto."

Incomodado com as afirmações da Lola, e com uma sincera vontade de entender o que a levava a pensar de forma tão diferente da minha, deixei um comentário por lá, o qual foi atenciosamente respondido, e que acabou me levando a uma conclusão que nunca pensei à qual chegaria.

Depois dessa breve conversa, hoje tenho consciência da necessidade das organizações de direitos humanos, mesmo que nem sempre concorde com o seu trabalho, pois continuo achando que estuprador tem mais é que sofrer mesmo. Mas que alguma coisa mudou, ah mudou.

Segue abaixo nossa conversa. Acho que é construtiva, principalmente para quem não gosta do pessoal que defende os direitos humanos como eu.

***


Primeiro comentário meu para a Lola:

Lola,

Tenho uma pergunta a fazer, mas, por favor, não entenda-a como uma pergunta-desafio ou uma pergunta-vamos-ver-como-ela-se-explica-agora, mas sim como uma pergunta de alguém que pensa diferente de você, mas que está se perguntando "será que estou pensando errado?" e deseja se entender melhor.

Vamos lá então: sei que a criminalidade é causada, também, por problemas sociais, mas você acha mesmo que isso é motivo para que bandidos não sejam punidos exemplarmente? (E me corrija se eu entendi errado, mas a impressão que tive, pelo texto, é de que é isso que você pensa).

Saudações,

***


Resposta da Lola:

Mario, acho que criminosos devem ser punidos pelos crimes que cometem (não sei muito bem o que vc quer dizer por "exemplarmente". Acho que a lei deve ser aplicada). Mas acho que prisão não é apenas punição, castigo, exílio (da sociedade), mas tb reabilitação. Acredito que a pessoa pode mudar. E as nossas prisões são ótimas em punir, já que as condições de vida são péssimas, mas não reabilitam. E a gente sabe que não é só assassino e estuprador que tá na cadeia. Tem preso que cometeu crimes menores e tá lá, aprendendo com os outros. Isso é péssimo pra todo mundo.

***


Minha resposta à Lola

Oi, Lola.

Puta merda, eu ia escrever um comentário respondendo ao seu, mas só de pensar nos meus argumentos a ficha caiu e vi que, ora ora, eu estou errado! Você acabou de salvar uma alma, Lola! ;o) Obrigado!

Sempre fui contra essa turma de direitos humanos porque sempre tive o pensamento de que "bandido bom é bandido morto". Dizia eu: "quem é a favor de direitos humanos o é até que tenha uma criança da família estuprada".

Mas, Deus, não dá pra ser radical assim, e direitos humanos não é só isso. Não é porque dentro da cadeia há vários bandidos perigosos que a polícia tem o direito de chegar lá trucidando todo mundo, porque TEM GENTE INOCENTE LÁ. É hipocrisia falar que não tem, porque a Justiça brasileira é falha e bota gente que não merecia na cadeia (enquanto quem merecia está solto).

Claro que não vou mudar da água pro vinho de uma hora pra outra, e ainda vou continuar achando que pra certos crimes não deveria haver perdão ou chance de reabilitação (e aqui entra o lance da punição exemplar, que já já eu explico), mas o meu parágrafo anterior já é uma prova de que meu pensamento mudou de uma forma tão radical que eu julgava impossível.

Sobre a punição exemplar, quero dizer justiça rápida e certa aliada a algo meio "olho por olho, dente por dente". Imagino que a falta de impunidade e penas como trabalhos forçados, mutilação (que tal arrancar o indicador de quem matou com uma arma de fogo?) e até mesmo a pena de morte colocariam medo em quem pensa em cometer um crime. Claro que isso não seria pra todo mundo, de jeito nenhum! Mas que tem gente que merece, ah isso tem.

Enfim, direitos humanos sim! (Na hora certa, mas sim!)

Novamente, obrigado por plantar essa semente e por fazê-la germinar. Não sei se vira um jequitibá, mas se não morrer seca já vou estar no lucro.

***


Resposta da Lola:

Ô Mário, que bom ouvir isso! Fico muito feliz mesmo. Bom, eu sou radicalmente contra a pena de morte, até porque ela não funciona. Eu pensava que EUA era o único país rico a aplicar a pena de morte, mas me falaram que no Japão ela ainda existe, em alguns casos. Mesmo assim, ela não funciona. É caríssima (custa muito mais caro executar uma pessoa, por causa dos mil e um recursos judiciários, do que mantê-la na cadeia pro resto da vida) e não faz a criminalidade baixar. Tanto que, apesar d'ela ser aplicada em boa parte dos estados americanos, os EUA tem a maior população carcerária do planeta. Entendo perfeitamente que eu, como indivíduo, possa querer que um criminoso que faça algo errado a um dos meus familiares ou amigos sofra e morra, mas um estado não pode se basear nos meus desejos. A justiça tem que ter cabeça fria. A polícia tem que ter cabeça fria. E o papel da polícia não é executar uma pena! A polícia não tem poder de juiz. Numa democracia, uma pessoa precisa ser julgada antes de ser condenada. E isso é BOM, inclusive porque evita muitos abusos (imagine se alguém te acusasse de alguma coisa e vc não tivesse direito de defesa. Imagine se a polícia já chegasse matando e matasse um dos seus). Portanto, direitos humanos são importantíssimos numa sociedade. Não é bom pra ninguém viver num país em que um monte de gente esteja na cadeia. Por isso o serviço PREVENTIVO da polícia é até mais importante que o de prender. E pra isso precisamos de policiais mais humanos, que convivam com a comunidade, que sejam respeitados por ela.
Bom, Mário, abração! Bom papear contigo!

4 comentários:

lola aronovich disse...

Que fofo, Mario! Pois é, me lembro dessa breve conversa que tivemos outro dia, e lembro que fiquei super feliz com a sua resposta. Claro que é preciso ter uma mente aberta como a sua pra querer mudar.
Agora, por favor, corrija o "criminais" que eu escrevi aí. Deveria ser "criminosos". É que às vezes eu penso em inglês, e é "criminals", e eu só traduzi pra "criminais", ó horror.
Abração, querido, e obrigada muito pelos elogios!

Mário Marinato disse...

Oi, Lola!

Não precisa agradecer não, poxa. Quem tem que agradecer aqui sou eu, por tantos textos excelentes, e por me fazer melhorar de opinião.

Até este nosso papo eu tinha dois heróis blogueiros: o Inagaki e o Alex Castro. Hoje você faz parte do time que me mudou minha mente de forma surpreendente!

Um grande abraço,

(E pode deixar que vou corrigir o texto agora mesmo)

Carol disse...

Que legal isso, Mário. Eu sempre sinto uma espécie de orgulho de pessoas que mostram q estão dispostas a pensar diferente, a analisar melhor a questão de outros ângulos, e não fica desesperadamente agarrado a opiniões cristalizadas e impensadas, com os olhos tampados, como a gente vê a maioria fazer. Eu tbm sou sempre ávida por aprender e entender melhor as coisas, mesmo q eu tenha uma opinião "formada", estou sempre pensando, "mas e se não for bem assim?". Sei lá, acho que seria mto saudável se mais gente fizesse isso. Acho q é simplesmente questão de interesse. De se interessar por ir buscar mais informação e respostas, ao invés de ficar no conforto de "eu tenho uma opinião" e pronto.

Enfim, fiquei feliz pelo seu "depoimento", também sou fã da Lola e aprendo muito com ela. =)

Mário Marinato disse...

"E se não for bem assim?"

Carol, você resumiu tudo aí. Eu estou preparando um artigo sobre meus três heróis blogueiros, que mudaram minha forma de pensar de uma forma ou de outra, e você acabou de me dar o título para o texto. Valeu!!

Pois é, eu também adoro os textos da Lola. Incrível como ela consegue ensinar coisa boa pra gente, né? Uma pena eu ter estado em Fortaleza ano passado e não tê-la encontrado pessoalmente.

Abraços,