Os Melhores Discos de 2011 - Parte 1

Nunca na minha vida ouvi tanta música quanto em 2011, e isto se deve, principalmente, à influência dos excelentes blogs Collector's Room e Blog do Maia, que me apresentaram uma penca de bandas novas. Foram tantas recomendações e tantos downloads que nem eu mesmo consegui acompanhar o ritmo, e uma das minhas resoluções de ano novo, que adiantei para primeiro de dezembro, foi limitar a quantidade de música que eu baixo, para poder curtir melhor o que eu conseguir.

Dos discos lançados este ano, eu ouvi pouco mais de trinta, e aqui fica a seleção dos 10 melhores. De todos, apenas dois são de artistas que eu já conhecia, sinal claro do grande número de descobertas que fiz. Sinistro é que agora no final do ano pulularam as listas de melhores discos por todos os cantos, e a quantidade de discos citadas em várias que eu não conhecia é absurda. 2012 vai começar com novas descobertas.

Logo logo vem a parte dois. (Veja também a parte 3).

E para vocês, quais foram os melhores discos do ano?


Forevermore - Whitesnake

Já tinha ouvido falar do Whitesnake várias vezes mas nunca tinha escutado nada da banda. Depois de tanto ouvir falar que era bom, fui experimentar. Este disco é recheado do início ao fim de bons rockões. Pura pauleira no ouvido. Dica do Collector's Room. Uma boa faixa é Whipping Boy Blues.


Heritage - Opeth

Já tinha ouvido algumas poucas coisas do Opeth, por conta de um camarada do trabalho, e nunca gostei, porque tinha vocais guturais, mesmo que o instrumental fosse bom. Quando soube que o novo trabalho deles não tinha os vocais guturais, tendendo pro progressivo, quis experimentar e gostei muito do que ouvi. Uma boa faixa é Haxprocess.


The King is Dead - The Decemberists

Taí uma banda da qual eu nunca tinha ouvido falar, mas como ouvi falar muito bem do disco, fui atrás pra ver como era. Com um rock indie e lembrando um pouco o folk, a banda garantiu o lugar na lista. Excelente som. Mais uma dica do Collector's Room. A dica aqui é Down By the Water.


Live at Benaroya Hall - Brandi Carlile

O primeiro nome conhecido da lista é o da Brandi, que soltou este ano um cd ao vivo dos bons, junto com uma orquestra sinfônica. Recheado com suas melhores músicas e algumas surpresas pelo caminho, o disco me ganhou na primeira audição. Um dos melhores momentos é Dreams.


Overlook - Maria Taylor

Difícil não gostar da voz e das levadas das músicas de Maria Taylor. Uma coisa meio folk meio rock que agrada muito aos ouvidos. Dica do Blog do Maia. Uma boa faixa é Bad Idea.


Play the Blues - Wynton Marsalls e Eric Clapton

O outro nome da lista lançou um disco que mostra mais uma faceta de seu talento inesgotável. Belas canções em arranjos de blues não têm como dar errado, e o disco é uma delícia de se ouvir. A versão deles para Layla é simplesmente sensacional.


Unconditional - Ana Popovic

Uma guitarrista sérvia que toca blues rock? Pela descrição achei estranho, mas o som que a moça tira da guitarra joga por terra qualquer dúvida sobre a qualidade de seu disco. Uma voz potente e riffs matadores fazem deste um disco que agrada fácil. Outra dica do Blog do Maia. Não deixe de ouvir Business as Usual.


Superheavy

Supergrupo formado, entre outros, por Mick Jagger e Joss Stone. Tem rock, soul, pop e reggae, tudo junto e misturado, num caldeirão que gostei muito. Se é pra ouvir alguma coisa, ouça Common Ground.


2 - Black Country Communion

É difícil um supergrupo formado por Jason Bonham, filho do baterista do Led Zeppelin, Joe Bonamassa, bluesman discípulo de B. B. King e Glenn Hughes, vocalista do Deep Purple, fazer alguma coisa ruim, e o segundo disco deles não deixa nada a desejar. Animal. Mais uma dica do Collector's Room. Man in the Middle é uma porrada daquelas.


Don't Explain - Beth Hart e Joe Bonamassa

O melhor do ano é, de longe, Don't Explain. Beth e Joe se juntaram para regravar grandes pérolas do blues e fizeram um disco sensacional. Beth tem um vozeirão do cacete e Joe Bonamassa toca guitarra fácil demais. A melhor faixa é I'll Take Care of You.

Um comentário:

Alberto N. Olivier. disse...

Tem pelo menos uns 5 aí que eu vou querer ouvir.