50 Semanas de Rock - Raimundos

Nos idos dos meus quinze anos, aproximadamente, eu conheci os Raimundos. Seu primeiro disco, mais especificamente. E simplesmente viciei: sabia praticamente todas as letras de cabo a rabo (e ainda lembrava de muitas delas até recentemente), fiz uma cópia em fita K7 para ouvir do walkman (sim, naquele tempo ainda não haviam inventado os mp3 players, crianças), e achava tudo o máximo, principalmente por causa da quantidade de merda que eles falavam.

Eu não gostava porque o som era bom ou porque haviam solos fuderosos. Eu nem me lembrava de nada disso. Eu gostava porque eu nunca havia ouvido uma banda cantar loucuras como "do meu pau eu faço a manivela, que toca na buceta dela e tira o carro do sertão" ou refrões poéticos como "não, não é assim que se fode, não". Era pura rebeldia.

Reencontrar o primeiro disco deles - simplesmente chamado Raimundos - foi uma deliciosa viagem no tempo. Só que desta vez com ouvidos maduros, que sabem prestar atenção no que há por trás de tantos palavrões. E, rapaz, que disco Foda, assim mesmo, com f maiúsculo. Escondido sob uma montanha de putarias e besteiras está, talvez, o melhor heavy metal que já foi feito no Brasil. Aliás, com tanta baixaria o Raimundos conseguiu sintetizar com precisão a velha máxima de "sexo, drogas e rock'n'roll".

Incrível, mas consegui gostar do mesmo disco duas vezes por motivos diferentes. A mistura de rock com música nordestina ficou fenomenal. Talvez seu único pecado seja ter músicas repetidas.

O segundo disco, Lavô Tá Novo, também é muito bom, apesar de ter alguns momentos que parecem ter sido mais planejados, visando agradar a um público maior e se tornar mais comercialmente viáveis. É o caso, por exemplo, I saw you saying (That you say that you saw). Ainda assim, ele é recheado de bons rockões pesados e com letras divertidas. A que mais gostei deste disco foi Tá Querendo Desquitar. Talvez seja a minha favorita deles.

Se o segundo disco mostrava uma busca de formatos mais comerciais, o último da banda com a formação original, Só no Forevis, soou pra mim um trabalho vendido, sem um cheiro daquela coisa porra-louca do primeiro. Pra mim é um disco praticamente descartável e insosso.

Como eu gostei para caralho da banda, depois vou baixar os outros discos para ver se eles lançaram outras coisas boas como primeiro e o segundo, ou se a qualidade foi diminuindo. Mas uma coisa é certa: se você quer ouvir rock de primeira linha, ouça pelo menos os dois primeiros. Afinal de contas, se tirar deles as letras que parecem ter sido feitas para chocar, você terá a melhor banda de rock do Brasil.

***


Veja a lista das bandas que fazem parte das 50 semanas

2 comentários:

Thiago "verde" disse...

Isso sim era banda foda.... =]

foi a banda q me fez gostar de rock... o resto é história!

sobre os cd's, vc tb devia ter escutado o "Lapadas do Povo"...

abrasss patrão

Mário Marinato disse...

Verde, você tem este disco? Se tiver, depois vou querer pegar com você! Abraço!